ATIVA INTERNATIONAL NA CHINA

Novembro de 2018, a Ativa International em parceria com a comitiva empresarial da FIESP, CIESP embarca para a China International Import Expo (CIIE), uma iniciativa de grandes proporções anunciada pelo Presidente da China, Xi Jinping, e organizada pelo Ministério do Comércio do país (MOFCOM) para promover as exportações de produtos estrangeiros na China, segundo maior mercado
consumidor e importador de todo o mundo.Pela primeira vez, o governo chinês organiza um evento deste porte com o foco exclusivo em importação de produtos estrangeiros. A China importará mais de US$ 10 trilhões nos próximos 5 anos.

Chegando com a delegação em Shanghai. no dia 4, participamos de uma reunião de alinhamento no Hotel Hyland Shanghai, onde foi revisada a programação semanal. No dia seguinte, pela manhã, assistimos o seminário “Como Fazer Negócios e Acessar o Mercado da China”, onde obtivemos informações e dicas valiosas sobre negociações e padrões do mercado Chinês. Pela tarde, partimos para a tão esperada feira. No Bank of China participamos de uma frutífera rodada de negócios, acompanhados por tradutores em um ambiente super organizado e preparado, rendendo inúmeros contatos e oportunidades, dando um início positivo a nossa viagem.

No decorrer da semana podemos explorar livremente a feira, buscando negócios e empresários que se alinhavam diretamente com os produtos dos clientes que representamos, buscando encomendas e formando contatos que podem gerar inúmeras oportunidades de negócios. Nos últimos dias de evento voltamos a nos reunir com a comitiva da FIESP e CIESP, onde realizamos várias visitas técnicas.

Nossa primeira parada do grupo foi a Cityshop, uma das maiores redes regionais de supermercados especializado sem alimentos gourmet do mundo. Pudemos atestar para a prioridade que a rede ainda dá para qualidade e a produção chinesa. Nos indicaram parcerias com os contatos locais e seus distribuidores.

Em seguida, conhecemos o Centro de Exposição 6+365. O centro comercial do grupo Orient Internacional, o maior de Shanghai, indica distribuidores para quem deseja fazer negócios na China. A ideia do 6+365 é manter uma plataforma online permanente de produtos. Os produtos oferecidos na China Internacional Import Expo deste ano, por exemplo, terão espaço lá até junho de 2019.

No Hema Supermarket, do conglomerado Alibaba, conhecemos uma extensa estrutura de negócios comandada apenas por um aplicativo. O consumidor abre sua conta e pode fazer compras pelo celular que serão entregues em até 30 minutos em áreas de até 3 km das lojas da rede. O pagamento pode ser feito por QR code e, em algumas lojas, por reconhecimento facial, descontado diretamente da conta do cliente. A loja abriga ainda frutos do mar vivos para compra e preparo na hora para consumo no local, uma preferência dos chineses. Alguns produtos frescos também possuem validade de apenas um dia, sendo descartados após esse período. Em seguida passamos pela loja conceito da cafeteria americana Starbucks em Shanghai, uma das de maior destaque no mundo.

Para conhecer os processos de armazenamento e distribuição dos produtos estrangeiros em Shanghai, também visitamos a chamada District Free Zone, a zona franca de Shanghai. A área, administrada por uma empresa estatal chinesa, funciona como um grande galpão de estoque de produtos oferecidos por fabricantes estrangeiros que desejam vender seus produtos para o país da Grande Muralha. Para participar da Free Zone, o empresário brasileiro pode contatar diretamente a equipe da empresa pública ou os distribuidores locais.

Encerrando nossa estadia na China, Bianca Nunes, nossa CEO, teve um encontro com os parceiros da BNI Prosperity em Guangzhou, onde conheceu inúmeras empresas e fábricas e formou inúmeras conexões e projetos de negócios inter-continentais.

Essa viagem foi uma experiência incrível e inúmeras sementes de negócios e oportunidades foram plantadas para nós e nossas empresas representadas. Agradecemos a todos que nos acompanharam pelas redes sociais e que venham novas feiras e oportunidades ao redor do mundo!

 

Brasil pode ganhar R$ 28,5 bilhões com guerra comercial China-EUA

“Grandes oportunidades de exportação estão por vir! O estudo da CNI Brasil aponta grande possibilidade para o Brasil fazer negócios devido a guerra comercial entre China e EUA. Inúmeros setores serão beneficiados e sua empresa pode estar entre eles!

Segundo o estudo da CNI, o Brasil poderia aumentar em até US$ 6,4 bilhões (R$ 24,7 bilhões) suas vendas para a China, passando a exportar produtos que vende para outros países, mas ainda não para o mercado chinês, ou vende muito pouco.

É o caso de alguns produtos químicos, cereais, frutas e veículos. Eles também são exportados pelos americanos, mas passarão a ter tarifa de 25%.

“Obviamente, não somos os únicos que vão tentar ganhar esse pedaço do mercado, e as novas tarifas não vão inviabilizar toda a exportação americana para a China, e vice-versa”, diz Bonomo.

Existem alguns obstáculos que podem impedir o Brasil de aproveitar essas oportunidades, como o custo do transporte para a China, concorrência de outros países que têm preferências tarifárias e, no caso dos produtos agropecuários, barreiras não tarifárias.

Por exemplo: o Brasil exporta 40 mil toneladas de suco de laranja para a China ao ano.

Mas o país não exporta alguns tipos de suco, porque regras aduaneiras aumentam muito o custo –e isso não mudaria; nem as tarifas de 25% sobre o suco americano, que tem pequena participação na China, fariam muita diferença.”

Fonte: Patrícia Campos Mello (Folha de São Paulo)

A Ativa International estará presente na China International Import Expo (CIIE) que acontecerá em novembro desse ano, representando empresas clientes e desenvolvendo parcerias estratégicas para um futuro comercial de sucesso.
Leve sua empresa para o outro lado do mundo, entre em contato conosco para maiores informações! Acesse: www.ativainternational.com

Qual a importância do RADAR para exportação?

O processo de exportação no Brasil exige uma série de etapas burocráticas que devem ser cumpridas para que tudo aconteça dentro da lei. Uma dessas etapas consiste em obter o RADAR, um registro necessário para a exportação. RADAR é a sigla para Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros e consiste em um registro obrigatório para todas as empresas que desejem realizar atividades de importação ou de exportação.

Do ponto de vista da exportação, o RADAR é importante porque é um dos documentos que garantem a regularidade da empresa junto à Receita Federal e, portanto, é um dos documentos exigidos em todo o processo de exportação de mercadorias.

A Ativa International oferece todo suporte e ação necessária para a solicitação e desembaraço burocrático do RADAR e outras documentações imprescindíveis para sua empresa.

Para maiores informações, acesse: www.ativainternational.com

Saiba mais sobre Exportação no workshop que realizaremos em Itu e Campinas no dia 17 e 20 de Outubro, se inscreva: //bit.ly/workshop_export_mkt_int

fonte da matéria: //blog.gs1br.org/

Workshop Exportação e Marketing Internacional

Voltado para empresários e profissionais da área, o workshop visa apresentar tendências do mercado de exportação e marketing internacional, com estratégias e informações únicas sobre os temas. Ele será realizado dia 20 em Campinas.

O workshop é ministrado por Bianca Nunes, diretora da Ativa International e formada nas mais diversas áreas de Marketing, Vendas e Estratégias de Negócios (Linkedin: //www.linkedin.com/in/nunesbianca/ ).

Dia 20/10 – CAMPINAS: CIESP Rua Padre Camargo de Lacerda, 37, Jardim Chapadão

SE INSCREVA! //bit.ly/workshop_export_mkt_int

Maiores informações:
//www.ativainternational.com
telefone: 11 4456-1716 / 97145-8776

Supere a crise buscando clientes no exterior!

Muitos empresários têm se perguntado como superar a crise em meio a um cenário econômica completamente desfavorável. A queda das vendas, e o déficit no faturamento de muitas companhias no último ano, foi notável. E quem mais sofreu com isso foram as pequenas e médias empresas.

Contudo, o que muitos empreendedores ainda não sabem, é que o Exterior guarda grandes oportunidades para quem sabe como investir nesse mercado.

Para se ter uma ideia, segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, a venda de produtos eletrônicos teve um aumento de 15%. Isso apenas em janeiro desse ano.

Além disso, segundo o estudo Spice Routes, feito pelo PayPal, os consumidores estrangeiros devem movimentar cerca R$ 4 bilhões por ano, apenas de compras feitas em sites brasileiros. Ou seja, vale muito à pena buscar clientes no exterior.

Tenha em mente que vender no Exterior não é nenhum bicho de sete cabeças. Claro que, assim como no nosso país, você precisará pagar alguns impostos e tributos. Mas ainda assim, investir nesse mercado representa hoje em dia uma excelente oportunidade para você ampliar o faturamento da sua empresa.

 

Uma dica essencial de como superar a crise com o alcance de clientes no exterior é ter um cuidado especial com o seu planejamento.

Apesar deste ser um mercado que se encontra aberto a investidores brasileiros, alguns pontos precisam ser trabalhados antes mesmo de você começar a buscar clientes no exterior.

Um bom exemplo disso é a questão da busca de clientes e parcerias estrangeiras.

É importante que você estabeleça boas parcerias internacionais, até mesmo para dar mais credibilidade ao seu negócio e, consequentemente, atrair mais compradores estrangeiros.

Para isso, nada melhor do que contar com uma assessoria especializada, que possa direcionar suas ações, focando sempre na tomada de decisões mais assertivas, para garantir boas vendas para o seu negócio.

 

Com um bom estudo de mercado, capacitações constantes e também adotando as dicas acima, você verá como é fácil buscar novos clientes no exterior.

Gostou desse post? Então aproveite para curtir a nossa página no facebook e fique por dentro das novidades do mercado internacional.